Crentes Sapiens

Fala galera abençoada!

Estou aqui em mais uma oportunidade de compartilhar algo muito bom que aconteceu comigo e que tem me ajudado a crescer e me fortificar, principalmente na Palavra de Deus.

Vivemos em uma época na qual somos inundados por informações de todos os tipos e de todos os lugares do mundo, e acabamos não conseguindo absorver grande parte deste conteúdo.






Então o que tendemos a fazer?

Tendemos a procurar por explicações prontas e objetivas, ou seja, respostas que rapidamente retirem quaisquer dúvidas que possamos ter. Paramos no primeiro resultado encontrado em um pesquisa. E com isso acabamos por acreditar, repetir e tomar por verdade um grande número de opiniões, conceitos e idéias errôneas sobre algum assunto.


Não fazemos isso de propósito. 
Possuímos a sensação que os dias estão “encurtando”. Não conseguimos realizar nem um terço do que planejamos fazer em determinados dias pela “falta de tempo”.

Geralmente as pessoas que nos passam essas informações são nossos conhecidos, parentes, líderes, amigos e também estão no mesmo processo que nós, no qual repassam um conteúdo sem ter buscado aprender mais sobre este.

Eu lhes advirto, porém, que algumas pessoas utilizam este artifício para os seus fins, estes nem sempre com boas intenções.

É de grande importância que possamos filtrar, analisando tudo o que ouvimos e lemos.
Na Bíblia encontramos ensinamentos que nos instruem a meditar na Palavra.

Ao se aproximarem do povoado para o qual estavam indo, Jesus fez como quem ia mais adiante. Mas eles insistiram muito com ele: “Fique conosco, pois a noite já vem; o dia já está quase findando”. Então, ele entrou para ficar com eles. Quando estava à mesa com eles, tomou o pão, deu graças, partiu-o e o deu a eles. Então os olhos deles foram abertos e o reconheceram, e ele desapareceu da vista deles. Lucas 24: 28-31

E disse-lhes: “Foi isso que eu lhes falei enquanto ainda estava com vocês: Era necessário que se cumprisse tudo o que a meu respeito está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”. Então lhes abriu o entendimento, para que pudessem compreender as Escrituras. Lucas 24:44,45

Com isso podemos ver que até mesmo aqueles que conhecem as Escrituras, sejam líderes religiosos ou não, podem cometer algum equívoco caso não meditem nela. Nossos olhos precisam ser abertos para que possamos compreender as Escrituras.

Até recentemente eu estava sendo muito influenciado por opiniões sobre a Teoria da Prosperidade, a qual será abordada em outro artigo, e com isso sempre estava com idéias contraditórias e sem saber sobre o que tomar como uma base verdadeira. Foi então que através de um ensinamento de um dos meus mentores que aprendi algo que me tem ajudado a amadurecer o meu modo de pensar e agir.

Esse ensinamento se baseia em 3 pontos: DUVIDAR, ANALISAR e CRITICAR.

Não é tão simples como possa aparentar pois esta é uma base de um raciocínio lógico e este requer esforço e treino para uma boa utilização.

1 – DUVIDAR

Se você acredita em tudo que vê ou ouve… provavelmente está correndo um grande perigo:o de ser manipulado facilmente.

Vamos ao dicionário ver o que é dito sobre o verbo duvidar: Não acreditar, não admitir.
Partindo do pressuposto que algo não é verdadeiro começamos a “montar” uma base para a formação da nossa opinião.

Quando se duvida de algo que alguém lhe disse você não está questionando a autoridade, 
integridade ou amizade e sim iniciando um raciocínio lógico.


“Há muitas razões para duvidar e uma só para crer.” Carlos Drummond de Andrade

2 – ANALISAR

Você já duvidou e agora quer saber se aquela informação é verdadeira ou não. Então é chegada a hora de coletar dados para a construção da crítica.
Vamos ao dicionário ver o que é dito sobre o verbo analisar: Estudar, decompor um todo em suas partes, examinar.

Esta fase consiste, como mencionado anteriormente, na coleta de dados sobre o assunto, examinando-os a fim de compreender o seu funcionamento/estrutura, ideologia-base, intenções/razões para uso etc.

Até agora você já duvidou, analisou e então precisa concluir o raciocínio lógico com uma crítica.

3 – CRITICAR

A maioria das pessoas não sabe o verdadeiro significado do verbo criticar. Concluem que criticar algo ou alguém é falar coisas negativas sobre aquilo ou aquela pessoa. Alguns dicionários informais também sustentam esta opinião errônea.

Vamos a um dicionário formal ver o que é dito sobre o verbo criticar: Examinar, avaliar, analisar uma obra para salientar-lhe as qualidades e/ou defeitos.



Lembrem-se que estamos falando sobre criticar idéias, opiniões e conceitos. Não devemos julgar as pessoas.

Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês. Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao seu irmão: “Deixe-me tirar o cisco do seu olho”, quando há uma viga no seu? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão. Mateus 1:1- 5


Não estou lhe sugerindo avaliar algo com notas, como fazem os críticos de cinema, por exemplo.

Ao se formar uma opinião, através de um raciocínio lógico e manter um argumento sobre um assunto é sugerido que não somente se faça uma análise subjetiva mas também uma análise objetiva, com os dados e fatos coletados.

Como cristãos, devemos tomar a Bíblia como nossa base e maior exemplo, meditando na Palavra de Deus para construirmos as nossas críticas.

Uma crítica sem base sempre é desconstrutiva e deve ser evitada.

“A ridícula situação de alguém que critica o que confessa nunca ter lido, já é suficiente para desqualificar a sua crítica.” Voltaire

Espero ter conseguido passar para vocês o que aprendi e adotei como estilo de raciocínio-base pra minha vida.

Que Deus lhe abençoe!
Sucesso!

João Victor

Escrevi este post em 21 de Janeiro de 2011
0 Comentários

0 comentários: